17 de dezembro de 2009

Bom dia.


Acordo.
Ouço palavras doces, espontâneas e sinceras
cantadas pela voz filial
desafinada e amorosa
em uma declaração musical.
Um bom dia, uma poesia.

9 de dezembro de 2009

Escrever poesia...

Um pequeno esboço de meu dilema atual, descrito por uma mulher que, como eu, tentou ser muitas em uma só:


"Escrever poesia não se parece com nenhum outro trabalho; não pode ser bem-feito se só pudermos lhe dedicar o tempo de um intervalo nas tarefas domésticas - pelo menos no meu caso. O estado de espírito eficiente, que risca os artigos da lista à medida que se desincumbe das compras, das lavagens, da limpeza, das costuras e das outras tarefas do dia, destrói totalmente a melancolia levemente entediada que estimula minha imaginação."


Anne  Stevenson

3 de dezembro de 2009

1 de dezembro de 2009

Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.


Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.


Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.


Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.


Cecília Meireles